Olá a todos os sócios da AEESECG e todos os alunos da ESE-UM.

A AEESECG deseja-vos um óptimo ano lectivo e promete a todos um ano repleto de actividades para que aumentem o vosso conhecimento em Enfermagem e o vosso Espírito Académico.

Seminário: Associativismo Estudantil em Enfermagem


7 Bitaite(s):

Tânia Araújo disse...

olá a todos!

"Associativismo", algo importante para todos e que não deviamos deixar de lado, tal como fizeram grande parte dos alunos da nossa escola no dia de hoje em que a nossa associação preparou um seminario sobre o tema.
AEESECG é um orgão associativo eleito pelos estudantes que representa, neste ambito podemos dizer que as decisoes que toma estão de acordo com esses. No entanto são também esses que a vem criticar por isto e por aquilo. Fazendo um pequeno resumo da mensagem do professor rui, os estudantes não deviam criticar as decisões tomadas pela associação porque estas são aprovadas pelos alunos. no entanto, o que acontece neste momente é que as decisões tomadas apenas são analizadas pelos membros da associação e poucos mais alunos, umas vez que são estes que aparecem as assembleias gerais de alunos.
Aos que criticam tenho de agradecer pois, citando o professor Cainé, quem nos critica é porque sabe que existimos, a indiferença é que nos preocupa. Porém, tambem gostaria de dizer aos que criticam que o façam não só por fazer mas sim com vontade de mudança. Acredito que quem critica é porque gostaria de ver as coisas diferentes, e neste sentido apresentem as vossas perspectivas e soluções, com a certeza de que serão tidas em conta.
Um outro assunto abordado pelos palestrantes foi a falta de mobilização em massa por causas justas, tal como era caracteristico dos estudantes pós 25 de abril. Actualmente, vamos às festas, e deixamos as coisas realmente importantes da nossa sociedade, que é a nossa escola, deixamos para os outros! Pois ser associativo não é pertencer à associação de estudantes, mas antes ser participativo!!
Para terminar, gostaria e apelar aos estudantes da nossa escola para que não vejam a associação e os seus membros como um mundo à parte, mas antes como um mundo msm ao vosso lado e que pode ser muito forte para lutar pelos direitos de todos nós se tiver o apoio dos que representa. Encarem a vossa associação como um bem necessário para a resolução dos vossos problemas!
A associação somos todos nós é não só os 23 eleitos!!
Procurem-na! Tornem-se activos! e para os que já o são, sejam ainda mais e para isso divulguem a mensagem, convertam os outros!!

Tânia Araújo, 2ª secretaria da MAG e acima de tudo aluna do 2º ano da nossa escola

Aluno do 3ºA disse...

Caros colegas,

Foi com muito agrado que participei no referido seminário, onde se ouviu palestrar sobre um tema que, como se disse, "está a morrer", mas que tem o seu quê de importância. Faço, acima de tudo, um balanço positivo!
Contudo, há alguns aspectos que não quero deixar passar em branco.
Em primeiro lugar, convenhamos que a divulgação do evento não foi a melhor, assim como o timing, uma vez que frequências e aulas para apresentação de trabalhos para uns, e aulas noutro edifício para outros, condenavam, à partida, este seminário à fraca afluência.
Em segundo lugar, não posso deixar passar a gafe (julgo eu!) do nosso presidente da AE. Terei ouvido mal quando disse alguma coisa parecida com "não agradeço a vossa presença, porque isto não é de presença obrigatória"? É um hipótese, de facto, mas caso esteja certo, é mais que evidente que os participantes adiaram actividades importantes a fim de participar neste evento, e talvez merecessem uma palavra de apresso.
Por último, hoje assistiu-se a uma demonstração do contrário dos comentários que se ouvem e das atitudes que se vêm quotidianamente na nossa escola. Afinal o 3ºA até serve para alguma coisa, quanto mais não seja para "tapa-buracos", ou "aquecedores-de-cadeiras"... É que já estvam mesmo a convencer-nos de que afinal a escola até passava bem sem nós...
Mas como se ouviu hoje "as críticas valem o que valem", não é?!
Venham mais actividades formativas!

Saudações Académicas

João Adriano Ferreira disse...

Antes de mais, queria responder a colega Tânia. Há dois aspectos que queria ressalvar no seu comentário. Primeiro, as críticas. As críticas acima de tudo podem ser entendidas, claro está, se forem críticas construtivas, como uma “manifestação verbal” de que não concordam com o que é feito, ou como é feito. A verdade é que é fácil criticar, já não é tão fácil mudar, e eu sei, porque como devem saber já pertenci a esta mesma associação. Ás vezes é difícil ouvir uma crítica e aceita-la porque cada um “puxa a brasa a sua sardinha”, a mim também me custa um pouco ouvir as críticas, mas o cero é que devemos ponderar nelas e devemos reflectir e tentar pelo menos aceitar tal crítica.

O segundo aspecto que queria ressalvar é a celebre altura da palestra em que o professor Rui Novais diz “que nós não nos mexemos para mudar nada”. Certamente ouviram alguns burburinhos na sala. Pois sim, era eu. Não consegui aceitar totalmente o que ele disse, não porque não tenha razão, porque a tem, e muita, mas porque as vezes as coisas não são bem explicadas.

Como sabemos, andamos em fase de transição desde que ingressamos na universidade do Minho, andamos de escola em escola como nómadas, ficamos com aquilo que os outros não quiseram, sim porque o edifício dos congregados era a “habitação” do curso de ensino básico e educação de infância, e estes mesmos cursos foram mudados para o Campus de Gualtar por falta de condições.

Mas a verdade é que muita gente pensa que temos boas condições e mudados para melhor, porque ter aulas em salas onde deveriam estar 40 pessoas e estão 80 é educativo, ou ter aulas com musica de fundo (berbequins a funcionar) também é educativo, ou quer ter as casas de banho constantemente fechadas também é muito educacional, previne a retenção urinária, mas pagamos o mesmo que os outros por estas belíssimas condições, porque não pagar 2000€ de propinas para pagar as obras dos outros. Isto tudo para dizer o quê? Para dizer que quando queríamos manifestar e pedimos o apoio à Associação de Estudantes, esta foi-nos recusada, pelas implicações que poderiam ter. Os alunos de antigamente e professores de agora, não tiverem medo de procurar melhores condições, mas nos temos, vivemos numa escola de aparências onde tudo gira a volta delas.

Colegas, não podemos continuar assim, lanço à associação um pedido, que sejam mais reivindicativos que melhor nos defendam, só assim poderão ser menos apontados pelos estudantes.

Relativamente ao que se passou hoje, lamento dizer que foi deplorável. Por dois motivos, primeiro não se pode chegar a uma sala de aula e sem qualquer autorização da turma simplesmente dizer “peço-vos que vão a palestra, já falei com a professora e ela adia a apresentação”. E eu pergunto, não temos voto na matéria? O segundo aspecto é que depois do que se passou hoje comentários como "não agradeço a vossa presença, porque isto não é de presença obrigatória"? Não merecem sequer comentários.

Meus amigos, se as pessoas não participam por algum motivo será, há que procurar novas estratégias de chamar as pessoas, porque se nós precisamos da associação, ela também precisa de nós. Se calhar na altura de marcas as datas se tentassem procurar satisfazer as necessidades dos alunos seria melhor. Porque falar a uma aula dita “banal” não é o mesmo que falar a uma aula de apresentação de trabalhos. Perguntem aos colegas qual será a melhor data, chamem-nos, cativem-nos, só assim poderão ter mais adesão, porque o que aconteceu hoje não foi excepcional, já acontecem mais vezes.

Eu sei que isto vindo de um antigo elementos da Associação vigente pode parecer um pouco descabido, ou mesmo “lavar a roupa suja” mas não o é. Apenas é uma opinião válida como todas as outras.

Saudações Académicas

Anónimo disse...

Eu pergunto: cara associaçao onde esta o vosso associativismo? sera que e a coagir os alunos a irem a um seminario??? sera que e a dizer aos alunos que nao se pode fazer uma manifestaçao porque poderao à posteriori surgir represálias???

Angelo Mariano Ferreira - AEESECG disse...

Em primeiro lugar, como também referi no seminário, a AEESECG organiza actividades de diversas índoles de forma a oferecer um complemento em diversas áreas de formação ao CLE. Deste modo, e dado o carácter voluntário de participação na AEESECG, o benefício da participação dos alunos nas actividades é exclusivamente pessoal, pois nenhum elemento da AE recebe nada com isso. Certamente que é uma frase forte "não vos agradeço a vossa presença porque isto não é obrigatório", no entanto ela é o espelho fiel da nossa realidade em que o movimento associativo está menos fulguroso e as actividades são marcadas por ridículas afluências. Passo a explicar mais uma vez esta afirmação que reitero: sem duvida que naturalmente estamos agradecidos com o vosso contributo para o sucesso (relativo) da actividade, contudo e mais uma vez, o sucesso é relativo em termos organizativos e absoluto na aprendizagem e benefícios que cada um retira das actividades, pelo que a vossa presença é na essência da existência da AEESECG, mais significativa em termos individuais respeitante aos alunos que participam do que propriamente ao nível da AE.

De facto, abordando agora outro aspecto, na relatividade organizativa, foi pedido um favor à turma do 3º ano, perante a qual tanto eu como a Prof. Mª José (a quem agradeço pela disponibilidade) fomos claros ao referir que era uma opção que teriam na decisão de nos "fazer o favor" e não uma obrigatoriedade...aqui sim tem toda a legitimidade prestar um agradecimento pela opção dado o esforço que representa esse adiamento. Certo é que ainda assim, nem todos os elementos dessa turma que foram dispensados compareceram, e em relação a isso podia dizer muita coisa mas como tenho que ser cortês neste blog...reservo-me ao silêncio.

Ainda nesta linha, a palavra aconselho o/a colega "anónimo" a fazer uma anamnese do que se passou ontem na sua sala de aula e a verificar no dicionário o significado de "coagidos", pois parece-me uma escolha pouco feliz...estou porem aberto à discussão.

Uma outra questão levantada que me apraz responder é na questão da calendarização das actividades...recordo a todos os que lêem este post, que o inicio de um mandato é feito com a aprovação do orçamento e plano de actividades (com a respectiva calendarização). Enquanto aluno (e incluo uma nota negativa também aos elementos da AEESECG, que mais a par das actividades se encontram), é nosso dever associativo (se assim o posso considerar...) estar informado (penso eu...?). Deste modo, far-se-á luz e o mar-morto voltar-se-á a abrir quando um aluno (extra-AE) refira a um professor (estejam os cartazes de uma actividade - alem de festas ou ENEE - afixados ou não - sendo esta segunda da opção algo inconcretizavel na minha óptica)se será possível adiar ou alterar determinada apresentação de trabalhos ou período de avaliação, pois decorrerá nesse dia uma actividade de índole cientifico-pedagogica desenvolvida pela AEESECG. Deixo a discussão em aberto relativamente a este ponto.

Muito bem que deveremos adoptar outras estratégias relativamente à participação, e já que uma calendarização atempada não resulta, temos de facto de procurar outras... Agora despretensiosamente pergunto: quais? Ajudem-nos por favor.

Espero que entendam este post como uma resposta discutível e não como tentativa de refutar qualquer comentário.

AGRADEÇO a vossa avaliação da actividade sugestões e preocupação, juntos conseguiremos um associativismo mais participado integrador e capaz de dar mais e melhores respostas. Assim ganhamos nós alunos mas também a AEESECG e o curso de enfermagem

Saudações.

Ângelo Mariano Ferreira
Presidente da Direcção da AEESECG

Anónimo disse...

Silvana Costa, 3º Ano

Caros colegas,

Antes de mais, quero salientar que o seminário de ontem, no meu ponto de vista, foi construtivo, mas só até onde tinha de ser. E só para quem quis! Como em tudo.
E o facto de muitos de nós defender que o “associativismo” está a morrer, não pensem que é só um problema da nossa escola, dos nossos alunos, da nossa A.E.
È um problema da sociedade, logo um problema de todos. Toca a cada um de nós, de igual forma…
E quanto a criticas caros colegas, é verdade…elas são sempre válidas…construtivas ou não…são válidas! Mas esta validade tem um limite, o limite é: porque criticamos?

Será fidedigno lançar palavras soltas, quando de nós não advém nada de construtivo que possa ser útil, não só a nós mesmos, mas à nossa escola, à nossa turma…? Será fidedigno atirar olhares reprobatórios a algo que não queremos simplesmente fazer parte?

È óbvio que nos pontos-chave concordamos de igual modo, há coisas a mudar, há coisas a fazer…mas sempre houve! E ainda bem para nós.
Mas o que é preciso, em todo o lado, em todos os lugares, caros amigos, é um espírito inovador, critico e activo em cada um de nós…!
Não podemos exigir que as coisas mudem, se não começar por nós…
Quando uma voz não faz eco, é necessário reunir mais e mais. Deixem a vossa marca. Onde quer que seja, deixem um bocado do que é vosso.

Queiramos estar dentro e nunca de fora!

Saudações Académicas

Anónimo disse...

Não kerendo ser mais uma pessoa k vem praki mandar o seu "bitaite",apenas venho mostrar o meu desagrado!!!Desagrado pela nossa escola de uma forma global!Começando pela falta de condições k todos estamos a enfrentar, pela falta "de convivio" que esbarra contra nos todos os dias, pelo fraco trabalho k a nossa associação está a ter!!De facto já vi melhores momentos da nossa associação e não...a falta de uma sala ou condições não justifica a falta de empenho e trabalho!!!O fazer festas não é importante pessoal... k me interessa a mim conviver com outros cursos se dentro do meu curso so meia duzia é k convive?!?!
Apenas kero pedir à nossa associação k se empenhe um pouco mais...como ja referi antes...já vos vi trabalhar mt bem!!:)

Ja agora peço desculpa por não utilizar um discurso elaborado, mas o meu objectivo era mm transmitir o meu desagrado e não o meu "saber escrever"!!!
Saudações Académicas!